terça-feira, 19 de abril de 2011

Tempo para se ser feliz

Confirmo! No Alentejo o tempo apareceu.
No tempo, houve tempo para desfrutar da companhia, simpatia e boa vontade das gentes daquelas paragens. Gente genuína, de sorriso fácil e sincero. Tempo para saborear, sentada à mesa e calmamente, as iguarias que por lá se fazem (aquelas migas são uma coisa, mas confesso que não fui capaz de provar um prato que se chamava "bochecha", o nome... não sei... não me sugeria...). Tempo para apreciar a riqueza de uma cidade onde se respira história e cultura em cada cantinho. De ficar sentada numa agradável esplanada sem pensar no que fazer a seguir. De respirar ar fresco num cenário de fundo verde com pinceladas de cores várias que o campo e os jardins proporcionavam. Num desses jardins, até houve tempo para embalar o meu filho nos braços até adormecer, tal como quando era bebé, e deixá-lo aí ficar até querer acordar. No meio de todo este tempo, ainda sobrou tempo para um longo banho de imersão com um peculiar gel de banho que por lá descobri enriquecido com azeite lá deles. O efeito daquilo (físico ou psicológico) foi fantástico. Acho que sim. De facto. Fui feliz no Alentejo. Tive tempo.






















10 comentários:

Helena disse...

O Alentejo é tudo isso...e um pouco mais para mim. É família, é recordações da infância onde era Feliz, é um formigueiro na barriga quando se volta para casa acompanhado de tristeza, mas também uma esperança de se lá voltar vezes sem conta e ter a mesma sensação de Felicidade e Tempo. :)

memyselfandi disse...

Helena, conheço bem essa sensação... sinto-a sempre que vou à minha terra natal, também. Não é o Alentejo, mas sem duvida que ambas têm muitas semelhanças. Um grande beijinho e uma óptima Páscoa!

nelio disse...

ddf

Célia Pires disse...

Oi linda! No Alentejo, o tempo discorre de forma diferente. É um tempo com tempo para tudo, por isso o amo tanto e fujo para lá sempre que posso. Para viver. Para esquecer. Para usufruir de mim e dos outros sem pensar em trocas. Para harmonizar.
Pena foi que não tivesses degustado uma boa carrilhada, feita com bochechas de porco e batatinhas assadas, regadas com a bela da banha que já tão poucos conhecem.

memyselfandi disse...

Nélio, ddf para ti também! Obrigada pela visita! =)

memyselfandi disse...

Célia, "harmonizar" acho que descreve muito bem a minha ida ao Alentejo. Quanto à bochecha, a palavra ainda agora me soa meia estranha, mas não duvido que seja saboroso! Beijinho, obrigada pela visita e pelo comentário! =)

NUXA disse...

Grandes vidas! Há quem se dê ao luxo de harmonizar e tudo! Eh eh!
Sortuda!
Temos que conversar sobre o tal gel de banho ;)

filipe disse...

Belo passeio! Qualidade de vida! =)

memyselfandi disse...

NUXA, conversamos quando quiseres.

memyselfandi disse...

Filipe, foi, sim senhora!