quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Houve auditoria

A ansiedade. Os nervos. As unhas roídas. As cólicas. As horas extraordinárias. A escassez de sono. As olheiras. A falta de apetite. O riso histérico de quem já está por tudo. Os papeis (sim, os papeis são essenciais, sem papeis, nada feito). Os computadores.  A luz dos computadores nos olhos. O zumbido dos computadores nos ouvidos. A manhã. O dia.
A auditoria. O tom de voz. O desdém pelo árduo trabalho alheio. O pouco caso. A atitude. Os modos. A prepotência. A animosidade.
Houve auditoria.
Acabou a auditoria. O sentir-se mais pequenino que uma formiga. A sensação do esforço em vão. As lágrimas de alívio e de... frustração. O baixar a cabeça. O levar na cabeça das chefias. O perguntar-se: "Para quê tanto esforço?"
E tudo porque se desempenham funções de seis quando se é apenas um, e mesmo assim...

5 comentários:

Grace disse...

Minha querida, poucos são os que "nascem com o rabo virado para a lua", em termos profissionais. Acho q a coisa mais frustrante é ninguém reconhecer o nosso esforço, trabalho a mais, que foi feito por empenho e gosto e não obrigação... mas, we'll always have our children!! Aí, estamos viradas para a lua e para as estrelas... e eles a verem-nas paassar... Eh! Eh!

FLR disse...

Conheço essa história em todos os ângulos...
What can we do?

Celeste disse...

fica a certeza de termos feito um trabalho digno e motivador e amanha é outro dia!!!
BJS

Nelson Ferreira disse...

Como eu a compreendo, acredite no que lhe digo.

No caso, a auditoria é este mês.

memyselfandi disse...

Olá, NELSON. Boa sorte para si :)Seja bem vindo ao meu cantinho!
Cmps.