sexta-feira, 28 de maio de 2010

EU ainda existo!

Terminou hoje definitivamente uma das etapas mais importantes da minha vida. Talvez até a mais importante da vida de um ser humano. Fechei um ciclo de quase 20 anos. Anos de lágrimas de alegria e de tristeza. Anos de partilha, cumplicidade, projectos... anos idos. Anos onde amei, experienciei, sorri, revoltei, sofri e perdi... Principalmente, CRESCI.  Uma quase vida, 20 anos. E todos eles tão necessários ao meu amadurecimento. Principalmente, necessários para a concretização do meu maior projecto de vida, o meu Principezinho. Se voltaria a fazer tudo de novo, não sei. Há fases da vida pelas quais devemos passar para nos tornarmos Gente, parece-me a mim. Afinal, todas as experiências de vida nos enriquecem. Por isso, talvez voltasse. Colhi frutos. Não tantos como os que desejaria ter colhido, mesmo assim, frutos. Não foram anos estéreis, de maneira nenhuma. Ainda assim, foram muitos...
Numa manhã de praia onde calmamente pude desfrutar das palavras de Rosa Lobato Faria enquanto lia um dos seus mais emblemáticos romances, deparei-me com este excerto, no qual uma mulher mais velha aconselhava a uma recém-casada "menina":
" Agora és uma senhora casada, acabou o devaneio. Agora o teu marido espera de ti compostura, prudência, dignidade, beleza e muito amor.
E eu, Paca?  E eu?
Pobrezinha. Não existe mais isso, EU."
Fui algo assim, desta menina. Também eu tive uma Paca na minha vida. Ou várias.
Espero que estejam em extinção. Extintas, até.
EU ainda existo!

7 comentários:

Pedro disse...

Helena.... Mais que uma simples etapa, que seja a continuação da procura de algo que desejes muito.

Felicidades

filipe disse...

O importante é que se tenha a consciência disso: Que EXISTIMOS! Que somos nós. Mesmo que nos demos aos outros, continuamos a ser nós... Força!

memyselfandi disse...

PEDRO, muito obrigada pelas tuas palavras. Se a felicidade não chegar, que cheguem muitos momentos felizes... :)

FILIPE, obrigada pela força. Concordo! :)

silvia disse...

Como dizia Eugénio de Andrade,
"
É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer."

E eu acrescento...

É urgente seres feliz
viveres intensamente.
É urgente amares-te
olhares-te ao espelho e veres-te a ti.

É urgente seres TU verdadeiramente
Amares o teu filho sem conflitos
É urgente fechares uma etapa
E abrires outra ainda melhor.

Beijos

Silvia Azevedo

memyselfandi disse...

SILVIA, sem palavras... Obrigada. Um beijinho tão grande!

NUXA disse...

Se tu existes??!! Minha amiga, para qualquer lado que eu olhe, tu EXISTES lá! Tens duvidas? :)

PS - Eu existo aqui. Se precisares... ;)

memyselfandi disse...

NUXA, talvez tenhas razão... :D Bigada! Jt