quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Teorias sobre o amor

Altura de correcção e avaliação de muitos trabalhos escolares. A propósito de um trabalho desenvolvido na área de Cidadania relacionado com a Sexualidade na Adolescência, chegou às minhas mãos este curioso texto, bastante teórico, de facto. Pela forma como prendeu a minha atenção, contudo, pensei para comigo que haverá  muita alma por esse mundo fora que talvez agradeça a sua publicação e o "enquadramento" desse sentimento que todos perseguimos e quase nunca entendemos ou conseguimos explicar. As pesquisas são da net.
É longo, mas algo interessante. Ora vejam!

O que é o amor?
Todos temos a sensação que sabemos o que é o amor e ao mesmo tempo que não o conhecemos nunca completamente. Também vemos à nossa volta como as pessoas são capazes de amar de formas tão diferentes. Será então que existe uma coisa que é o amor, ou existem vários tipos de amor diferentes?
Vários estudos se têm feito para tentar perceber o amor. Viu-se que o amor é constituído ou formado, por três componentes: a intimidade, a paixão, e a decisão/compromisso.
A intimidade é o componente mais emocional, porque inclui a necessidade de estar próximo, a confiança no parceiro, a protecção, etc. Com a paixão temos em conjunto o romance, a atracção física e a sexualidade. Por último, na decisão/compromisso falamos do momento em que tomamos a decisão de que amamos o outro, e de que aceitamos o compromisso de continuar juntos por muito tempo.
São as várias combinações possíveis destes três componentes, que nos mostram que existem vários tipos de amor diferentes. No quadro podem ver-se como são os tipos possíveis e até quanto tempo é que costumam durar cada uma destas relações amorosas.
Tipo de amor/atracção - Tipo de relação amorosa

Não há amor -  Não há Intimidade, nem Paixão, nem Decisão/Compromisso . Isto acontece com muitas das pessoas com quem falamos no dia-a-dia.
Amizade - Há Intimidade, mas não há Paixão, nem Decisão/Compromisso. Esta é uma relação de proximidade, compreensão, afectividade, bondade e apoio emocional.
Amor à primeira vista - Há Paixão, mas não há Intimidade, nem Decisão/Compromisso. Há uma grande atracção física, esta relação pode desaparecer tão rápido como apareceu, em alguns casos dura muito tempo.
Amor vazio - Há Decisão/Compromisso, mas não há Intimidade, nem Paixão. Este é o caso de relações que duram há muito tempo e dos casamentos sem amor.
Amor romântico - Há Intimidade e Paixão, mas não há Decisão/Compromisso. Existe atracção física e apoio emocional, mas os amantes não decidiram que ficariam juntos por muito tempo.
Amor conjugal - Há Intimidade e Decisão/Compromisso, mas não há Paixão. Muitas vezes ocorre nas amizades de longa data, em que a atracção física já não existe, mas existe a decisão de continuar juntos.
Amor irreflectido ou tonto - Há Paixão e Decisão/Compromisso, mas não há Intimidade. São os casos em que é tomada a decisão de continuar juntos com base na paixão, mas em que não houve tempo de criar uma intimidade. Normalmente, não duram muito.
Amor consumado - Há Intimidade, Paixão e Decisão/Compromisso. É mais fácil de chegar aqui do que continuar assim. Normalmente, se há uma mudança num dos parceiros, e o outro não muda, a relação amorosa pode acabar. Se há uma mudança no outro, continua mas já não é na forma de amor consumado. 

Vendo o quadro chegamos à conclusão que, além de haver vários tipos de amor conforme os casais, podem existir relações amorosas muito diferentes ao longo da vida de cada um de nós. 

No fundo, o amor é uma história que cada um constrói com a ajuda do seu companheiro, pode ser desde um conto de fadas a uma história de terror. Vai mudando ao longo do tempo e às vezes até podemos adivinhar o futuro da relação que se está a construir, mas nunca podemos ter a certeza dele. É aqui que está o mistério do amor.

7 comentários:

Anónimo disse...

Ou seja, ficamos com tudo muito mais esquematizado e, no fim, voltamos à estaca zero e permanecemos na incerteza... Deve dar uma boa nota! :D

Renato Hotheps disse...

ola ola

fiquei muito contente quando vi o seu comentario no meu blog. é bom quando lemos comentarios daqueles e deparamo nos com o nosso reconhecimento.
claro que pode publicar no seu blog os meus poemas, use e abuse, mas claro, sempre com a referencia do autor.

memyselfandi disse...

ANÓNIMO, lá está! Teorias :D

Renato, é um prazer vê-lo por cá também. Obrigada. O que é bonito merece ser divulgado!

NUXA disse...

Interessante! O que confere o mistério ao amor (nunca ter a certeza dele), pode até ser positivo. Faz com que as pessoas se empenhem em investir na relação e a não descurar nunca a mesma. Por outro lado, sentirmos que andamos sempre na corda bamba e que nunca nos sentimos seguros de um amor, também é algo negativo, acho. Para se poder amar com serenidade e partilhar, torna-se necessário alguma certeza, não? Posso estar enganada ;)
Boa!
Bj

FLR disse...

Assino em baixo. Jinho

João P Silva disse...

É importante escrever sobre o amor o tudo o que essa singela palavra encerra. Mas mais que isso é vivê-lo a cada dia!
Amar amar amar!

memyselfandi disse...

NUXA, muito bem visto! (digo eu, vá):)

FLR, :)

JOÃO, é sempre bom ouvir a palavra de um homem. E como concordo contigo!
Jt.