domingo, 22 de fevereiro de 2009

E já agora

Não gosto:



  • de me sentir embaraçada;

  • de comida que não consigo identificar;

  • de ler Saramago;

  • de prejudicar os outros;

  • de sujidade, desarrumação e caos;

  • de injustiças;

  • de répteis e "viscosidades" afins;

  • que me vejam chorar;

  • de não ter água quente no Inverno para o banho;

  • de pessoas chatas e pobres de espírito;

  • de situações pouco claras;

  • de futilidades;

  • do verbo humilhar e outras da família;

  • de maus profissionais;

  • de deixar para amanhã;

  • de desperdiçar tempo;

  • de não ter nada para fazer;

  • de pessoas que passam a vida "cheias de azia";

  • de solidão (quando não sou eu a procurá-la);

  • de hipocrisia, cinismo, mentira, arrogância e crueldade;

  • que me chamem pelos meus dois primeiros nomes juntos (trauma de infância);

  • que se aproveitem de mim e das minhas ideias;

  • da frase "Já tens idade para ter juizo";

  • que me digam algumas verdades (mas oiço e reconheço que até são verdades);
  • de envelhecer;
  • que me façam esperar;
  • que me cortem as asas e não me deixem voar...

3 comentários:

FLR disse...

Isso não serão mais medos? Eu também tenho alguns dos que listaste. Por exemplo, eu acho que também vou ser uma "velha gaiteira" ;).
É um prazer vir aqui!

NUXA disse...

Desculpa, FLR, mas onde está o medo das futilidades e de desperdiçar tempo? Não vejo ligação!Lá está, generalizar...
Também não gosto da maior parte dos substantivos que aí colocaste (a natureza humana no seu pior).
Achei os posts "CUCHI". Arranja mais!

Miguel M. disse...

Fazer uma coisa destas é mostrar um bocado de si mesmo... Saber ouvir as verdades que nos custam "engolir" é uma grande virtude (na minha opinião). Cool!